Compartilhar
Informação da revista
Vol. 89. Núm. 5.
Páginas 477-484 (Setembro - Outubro 2013)
Compartilhar
Compartilhar
Baixar PDF
Mais opções do artigo
Vol. 89. Núm. 5.
Páginas 477-484 (Setembro - Outubro 2013)
ARTIGO ORIGINAL
DOI: 10.1016/j.jpedp.2013.02.004
Open Access
Degree of compliance with the ten steps of the Breastfeeding-Friendly Primary Care Initiative and its association with the prevalence of exclusive breastfeeding
Grau de cumprimento dos Dez Passos da Iniciativa Unidade Básica Amiga da Amamentação e sua associação com a prevalência de aleitamento materno exclusivo
Visitas
...
Rosane Valéria Viana Fonseca Ritoa,
Autor para correspondência
rosane.rito@gmail.com

Corresponding author.
, Maria Inês Couto de Oliveirab, Alexandre dos Santos Britoc
a Doutora em Saúde da Criança e da Mulher, Departamento de Nutrição e Dietética, Faculdade de Nutrição Emília de Jesus Ferreiro, Universidade Federal Fluminense (UFF), Niterói, RJ, Brasil
b Doutora em Saúde Pública, Departamento de Epidemiologia e Bioestatística, Instituto de Saúde da Comunidade, UFF, Niterói, RJ, Brasil
c Doutor em Saúde Coletiva, Instituto de Estudos em Saúde Coletiva, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Informação do artigo
Abstract
Objective

To analyze the association between the degree of compliance with the ten steps of the Breastfeeding-Friendly Primary Care Initiative (BFPCI) and the prevalence of exclusive breastfeeding (EBF) in infants younger than six months in the city of Rio de Janeiro.

Methods

This was a cross-sectional study conducted in a representative sample of 56 primary health care units of this municipality. The assessment of compliance with the ten steps of the BFPCI was carried out by interviewing health care professionals, pregnant women, and mothers; the generated performance scores were classified into tertiles. To obtain the outcome, i.e., the EBF, a data collection questionnaire was applied to mothers of children younger than six months who were followed at these units in November of 2007. Prevalence ratios were obtained for the EBF using Poisson regression with robust variance.

Results

The prevalence of EBF was 47.6%. In the multivariate analysis, the upper tertile of performance showed a 34% higher prevalence of EBF (PR = 1.34, 95% CI: 1.24 to 1.44) and the second tertile was 17% higher (PR = 1.17, 95% CI: 1.08 to 1.27) than the first tertile. Mothers who did not work out of home had a 75% higher prevalence of EBF (PR = 1.75, 95% CI: 1.53 to 2.01); assistance in a basic health unit, as opposed to a family health unit, implied a 10% higher prevalence (PR = 1.10, 95% CI: 1.03 to 1.19). The prevalence of EBF decreased 1% for each day of the infant's life (PR = 0.993, 95% CI: 0.992 to 0.993).

Conclusion

Given the contribution of BFPCI to the practice of EBF, a greater investment in the expansion and sustainability of this initiative is recommended, as well as its association with other strategies to promote, protect, and support breastfeeding.

Keywords:
Breastfeeding
Cross-sectional studies
Evaluation of health programs and projects
Primary health care
Resumo
Objetivo

Analisar a associação entre o grau de cumprimento dos Dez Passos da Iniciativa Unidade Básica Amiga da Amamentação (IUBAAM) e a prevalência de aleitamento materno exclusivo (AME) em menores de seis meses no município do Rio de Janeiro.

Métodos

Estudo transversal conduzido em amostra representativa de 56 unidades básicas de saúde deste município. A avaliação do grau de cumprimento dos Dez Passos da IUBAAM foi realizada por entrevista a profissionais, gestantes e mães, e os escores de desempenho gerados foram classificados em tercis. Para obtenção do desfecho, o AME, foi aplicado formulário de coleta de dados às mães de crianças menores de seis meses que demandaram estas unidades em novembro de 2007. Foram obtidas razões de prevalência do AME por regressão de Poisson com variância robusta.

Resultados

A prevalência de AME foi de 47,6%. Na análise multivariada, o tercil superior de desempenho apresentou uma prevalência de AME 34% maior (RP = 1,34; IC95% 1,241,44), e o segundo tercil, 17% maior (RP = 1,17; IC95% 1,08-1,27) que o inferior. A mãe não trabalhar fora gerou uma prevalência de AME superior em 75% (RP = 1,75; IC95% 1,53-2,01), e a assistência em unidade básica de saúde, em contraposição à saúde da família, em 10% (RP = 1,10; IC95% 1,03-1,19). A prevalência de AME caiu 1% a cada dia a mais do bebê (RP = 0,993; IC95%: 0,992-0,993).

Conclusão

Diante da contribuição da IUBAAM à prática do AME, recomenda-se maior investimento na expansão e sustentabilidade desta iniciativa, bem como sua articulação com outras estratégias de promoção, proteção e apoio à amamentação.

Palavras-chave:
Aleitamento materno
Estudos transversais
Avaliação de programas e projetos de saúde
Atenção básica à saúde
O texto completo está disponível em PDF
Referências
[1]
T.S. Toma, M.F. Rea.
Benefícios da amamentação para a saúde da mulher e da criança: um ensaio sobre as evidências.
Cad Saude Publica., 24 (2008), pp. S235-S246
[2]
M.S. Kramer, B. Chalmers, E.D. Hodnett, Z. Sevkovskaya, I. Dzikovich, S. Shapiro, et al.
Promotion of breastfeeding intervention trial (PROBIT): a randomized trial in the Republic of Belarus.
JAMA., 285 (2001), pp. 413-420
[3]
M.F. Rea.
Reflexões sobre a amamentação no Brasil: de como passamos a 10 meses de duração.
Cad Saude Publica., 19 (2003), pp. S37-S45
[4]
Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro. Resolução SES n° 2.673 de 02 de março de 2005. Implanta a Iniciativa Unidade Básica Amiga da Amamentação no Estado do Rio de Janeiro e dá outras providências. Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro: Ano XXXI n° 047, Parte 1; 14 de março de 2005.
[5]
M.I. de Oliveira, L.A. Camacho.
Tedstone AE. Extending breastfeeding duration through primary care: a systematic review of prenatal and postnatal interventions.
J Hum Lact, 17 (2001), pp. 326-343
[6]
M.I. de Oliveira, L.A. Camacho, A.E. Tedstone.
A method for the evaluation of primary health care units’ practice in the promotion, protection and support of breastfeeding: results from the State of Rio de Janeiro, Brazil.
J Hum Lact., 19 (2003), pp. 365-373
[7]
M.I. Oliveira, R.V. Rito, G.P. Barbosa.
Iniciativa Unidade Básica Amiga da Amamentação: histórico e desafios.
In: Carvalho e Tavares. Amamentação: bases científicas. 3ed. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, (2010), pp. 292-299
[8]
Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil (SMSDC). SMSDC promove o aleitamento materno, com 19 títulos da IUBAAM [acessado em 23 Jan 2013]. Disponível em: http://www.rio.rj.gov.br/web/smsdc/exibeconteudo?article-id=3536534.
[9]
I.R. Castro, E.M. Engstrom, L.O. Cardoso, J.J. Damião, R.V. Rito, M.A. Gomes.
Tendência temporal da amamentação na cidade do Rio de Janeiro: 1996-2006.
Rev Saude Publica., 43 (2009), pp. 1021-1029
[10]
World Health Organization. The optimal duration of exclusive breastfeeding: results of a WHO systematic review. Note for the press N° 7. Geneva: World Health Organization; 2001.
[11]
Champagne F, Brousselle A, Hartz Z, Contandriopoulos A-P, Denis J-L. A análise da implantação. In: Brousselle A. (Org). Avaliação: conceitos e métodos. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz; 2011. p.217-38.
[12]
Silva NN . Amostra probabilística. 2ª ed. São Paulo: EDUSP; 2000.
[13]
Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro. Manual de capacitação de multiplicadores da Iniciativa Unidade Amiga da Amamentação. Rio de Janeiro: Ed. FIOTEC; 2006.
[14]
World Health Organization. Indicators for assessing infant and young child feeding practices: conclusions of a consensus meeting held 6-8 November 2007 in Washington D.C., USA. Geneva: World Health Organization; 2008.
[15]
L.M. Coutinho, M. Scazufca, P.R. Menezes.
Métodos para estimar razão de prevalência em estudos de corte transversal.
Rev Saude Publica., 42 (2008), pp. 992-998
[16]
L.G. Bueno, K.M. Teruya.
Aconselhamento em amamentação e sua prática.
J. Pediatr (Rio J)., 80 (2004), pp. S126-S130
[17]
A.P. Caldeira, G.C. Fagundes, G.N. de Aguiar.
Intervenção educacional em equipes do Programa de Saúde da Família para promoção à amamentação.
Rev Saude Publica., 42 (2008), pp. 1027-1033
[18]
L.O. Cardoso, A.S. Vicente, J.J. Damião, R.V. Rito.
Impacto da implementação da Iniciativa Unidade Básica Amiga da Amamentação nas prevalências de aleitamento materno e nos motivos de consulta em uma unidade básica de saúde.
J Pediatr (Rio J)., 84 (2008), pp. 147-153
[19]
J.J. Damião.
Influência da escolaridade e do trabalho maternos no aleitamento materno exclusivo.
Rev Bras Epidemiol., 11 (2008), pp. 442-452
[20]
M.L. Mascarenhas, E.P. Albernaz, M.B. Silva, R.B. Silveira.
Prevalence of exclusive breastfeeding and its determiners in the first 3 months of life in the South of Brazil.
J Pediatr (Rio J)., 82 (2006), pp. 289-294
[21]
P.F. Sampaio, C.L. Moraes, M.E. Reichenheim, A.S. Oliveira, G. Lobato.
Nascer em Hospital Amigo da Criança no Rio de Janeiro.
Brasil: um fator de proteção ao aleitamento materno?. Cad Saude Publica., 27 (2011), pp. 1349-1361
[22]
S.I. Venancio, M.M. Escuder, P. Kitoko, M.F. Rea, C.A. Monteiro.
Frequência e determinantes do aleitamento materno em municípios do Estado de São Paulo.
Rev Saude Publica., 36 (2002), pp. 313-318
[23]
R.G. Chaves, J.A. Lamounier, C.C. César.
Fatores associados com a duração do aleitamento materno.
J Pediatr (Rio J)., 83 (2007), pp. 241-246
[24]
F. Caminha Mde, M. Batista Filho, V.B. Serva, I.K. Arruda, J.N. Figueiroa, P.I. Lira.
Tendências temporais e fatores associados à duração do aleitamento materno em Pernambuco.
Rev Saude Publica., 44 (2010), pp. 240-248
[25]
L.P. de Oliveira, A.M. Assis, G.S. Gomes, M. Prado, S. da, M.L. Barreto.
Duração do aleitamento materno, regime alimentar e fatores associados segundo condições de vida em Salvador.
Bahia, Brasil. Cad Saude Publica., 21 (2005), pp. 1519-1530
[26]
Ministério da, Saúde.
II Pesquisa de Prevalência de Aleitamento Materno nas Capitais Brasileiras e Distrito Federal.
Distrito Federal. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, (2009),
[27]
M.B. do Nascimento, M.A. Reis, S.C. Franco, H. Issler, A.A. Ferraro, S.J. Grisi.
Exclusive breastfeeding in Southern Brazil: prevalence and associated factors.
Breastfeed Med., 5 (2010), pp. 79-85
[28]
R.S. Pereira, M.I. Oliveira, C.L. Andrade, A. Santos Brito.
Fatores associados ao aleitamento materno exclusivo: o papel do cuidado na atenção básica.
Cad Saude Publica., 26 (2010), pp. 2343-2354
[29]
S.I. Venancio, M.M. Escuder, S.R. Saldiva, E.R. Giugliani.
Breastfeeding practice in the Brazilian capital cities and the Federal District: current status and advances.
J Pediatr (Rio J)., 86 (2010), pp. 317-324
[30]
M.H. Labbok.
Global Baby-Friendly Hospital Initiative.
Monitoring data: update and discussion. Breastfeed Med., 7 (2012), pp. 210-222

Como citar este artigo: Rito RV, Oliveira MI, Brito AS. Degree of compliance with the ten steps of the Breastfeeding-Friendly Primary Care Initiative and its association with the prevalence of exclusive breastfeeding. J Pediatr (Rio J). 2013;89:477-84.

Copyright © 2013. Brasileira de Pediatria
Idiomas
Jornal de Pediatria

Receba a nossa Newsletter

Opções de artigo
Ferramentas
en pt
Taxa de publicaçao Publication fee
Os artigos submetidos a partir de 1º de setembro de 2018, que forem aceitos para publicação no Jornal de Pediatria, estarão sujeitos a uma taxa para que tenham sua publicação garantida. O artigo aceito somente será publicado após a comprovação do pagamento da taxa de publicação. Ao submeterem o manuscrito a este jornal, os autores concordam com esses termos. A submissão dos manuscritos continua gratuita. Para mais informações, contate assessoria@jped.com.br. Articles submitted as of September 1, 2018, which are accepted for publication in the Jornal de Pediatria, will be subject to a fee to have their publication guaranteed. The accepted article will only be published after proof of the publication fee payment. By submitting the manuscript to this journal, the authors agree to these terms. Manuscript submission remains free of charge. For more information, contact assessoria@jped.com.br.
Cookies policy Política de cookies
To improve our services and products, we use "cookies" (own or third parties authorized) to show advertising related to client preferences through the analyses of navigation customer behavior. Continuing navigation will be considered as acceptance of this use. You can change the settings or obtain more information by clicking here. Utilizamos cookies próprios e de terceiros para melhorar nossos serviços e mostrar publicidade relacionada às suas preferências, analisando seus hábitos de navegação. Se continuar a navegar, consideramos que aceita o seu uso. Você pode alterar a configuração ou obter mais informações aqui.