Jornal de Pediatria Jornal de Pediatria
J Pediatr (Rio J)2017;93:274-80 DOI: 10.1016/j.jpedp.2017.01.001
Artigo Original
Detecting congenital hypothyroidism with newborn screening: the relevance of thyroid‐stimulating hormone cutoff values
Detecção de hipotireoidismo congênito pela triagem neonatal: a relevância dos valores de corte de hormônio estimulante da tireoide
Stela Maris Silvestrina,, , Claudio Leoneb, Cléa Rodrigues Leonec
a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Faculdade de Medicina, Departamento de Pediatria, Cuiabá, MT, Brasil
b Universidade de São Paulo (USP), Faculdade de Saúde Pública, Departamento de Saúde Materno‐Infantil, São Paulo, SP, Brasil
c Universidade de São Paulo (USP), Faculdade de Medicina, Departamento de Pediatria, São Paulo, SP, Brasil
Recebido 16 Fevereiro 2016, Aceitaram 04 Julho 2016
Resumo
Objetivos

Avaliar a prevalência do hipotireoidismo congênito e a capacidade de vários valores de corte do hormônio estimulante da tireoide de neonatos (TSHneo) para detectar essa doença.

Métodos

Este estudo de coorte teve como base a coleta retrospectiva de informações disponíveis no banco de dados do Serviço de Referência em Triagem Neonatal de todos os nascidos vivos de 1∘ de janeiro de 2010 a 31 de dezembro de 2012, avaliados no Programa de Triagem Neonatal de um estado brasileiro. Os neonatos foram divididos em dois grupos: I – Controle: neonatos com testes de triagem neonatal normais e II – Estudo: neonatos com hipotireoidismo congênito. A análise incluiu a comparação entre os níveis de TSHneo dos dois grupos. Uma curva do poder discriminante do teste (ROC) foi criada para avaliar os diferentes valores de corte de TSHneo.

Resultados

Utilizando um valor de corte de TSHneo de 5,0IU/mL, 50 dos 111.705 neonatos examinados foram diagnosticados com hipotireoidismo congênito (prevalência de 1:2.234 nascidos vivos). A curva ROC mostrou que o valor do TSHneo de 5,03IU/mL possuía sensibilidade de 100% e a maior especificidade relacionada (93,7%). A área abaixo da curva foi 0,9898 (p<0,0001).

Conclusões

A curva ROC confirmou que o valor de corte de TSHneo de 5,0IU/mL adotado pelo Programa de Triagem Neonatal de um estado brasileiro foi o mais adequado na detecção do hipotireoidismo congênito e provavelmente explica a alta prevalência constatada.

Abstract
Objectives

To assess the prevalence of congenital hypothyroidism and the ability of various neonatal thyroid‐stimulating hormone (TSHneo) cutoff values to detect this disease.

Methods

This cohort study was based on the retrospective collection of information available from the Reference Service for Newborn Screening database for all live births from January 1, 2010, to December 31, 2012, assessed using the Newborn Screening Program of a Brazilian state. The infants were divided into two groups: I–Control: infants with normal newborn screening tests and II–Study: infants with congenital hypothyroidism. Analysis included comparing the TSHneo levels from both groups. A receiver operating characteristic (ROC) curve was constructed to assess the TSHneo cutoff values.

Results

Using a TSHneo cutoff value of 5.0μIU/mL, 50 out of 111,705 screened infants had diagnosis of congenital hypothyroidism (prevalence 1:2234 live births). The ROC curve showed that TSHneo value of 5.03μIU/mL had 100% sensitivity and the greatest associated specificity (93.7%). The area under the curve was 0.9898 (p<0.0001).

Conclusions

The ROC curve confirmed that the TSHneo cutoff value of 5.0μIU/mL adopted by the Newborn Screening Program of a Brazilian state was the most appropriate for detecting congenital hypothyroidism and most likely explains the high prevalence that was found.

Keywords
Congenital hypothyroidism, Newborn screening, Neonatal screening, Thyrotropin
Palavras‐chave
Hipotireoidismo congênito, Triagem de recém‐nascidos, Triagem neonatal, Tirotropina
J Pediatr (Rio J)2017;93:274-80 DOI: 10.1016/j.jpedp.2017.01.001